O ano de 2020 não está fácil, principalmente para o pequeno empresário. A necessidade de cuidar da saúde de si e dos outros fez com que muitos estabelecimentos tivessem que permanecer fechados por várias semanas, gerando um baque econômico no país inteiro.

No entanto, apesar das dificuldades, algumas empresas estão conseguindo contornar esse momento complicado. Mas geralmente isso exige criatividade, intuição, agilidade e competência.

Por isso, hoje trazemos aos nossos leitores, como fonte de inspiração, a ideia bem-sucedida da Bárbara Mattivy, dona da Insecta Shoes, empresa brasileira de calçados e acessórios ecológicos, criada em 2014.

 

Um novo produto, novas vendas

 

Em plena época de quarentena, a Insecta identificou a oportunidade de lançar um novo modelo de calçado, e já no primeiro dia de vendas atingiu 60% da meta prevista para o mês inteiro. Calçados, hein? Com as pessoas em casa?

Pois é. Depois da Insecta ter sofrido com uma queda de dois terços das vendas já na primeira semana de quarentena, Bárbara entrou em contato com alguns de seus clientes para saber o que estavam vestindo em casa. E daí veio a ideia: criar uma "chitufa", um chinelo-pantufa feito artesanalmente, com excedentes da indústria.

Porque mesmo em casa precisamos calçar alguma coisa, certo? E se não precisarmos amarrar cadarços, melhor ainda.

Outra ação da empresa foi não investir em estoque no momento de crise. Assim, os sapatos são feitos sob encomenda: o cliente faz o pedido no site, inicia-se a produção (que dura dois dias) e o produto é enviado para a casa do cliente.

A Insecta ainda está destinando 6% do faturamento do novo produto para a favela de Paraisópolis, em São Paulo-SP, para compra de água e itens de higiene.

 

Consciência e engajamento com o público-alvo

 

Na verdade, a Insecta Shoes é um exemplo de inteligência de mercado e criatividade desde sua concepção em 2014. Não só a "chitufa", mas todos os produtos da marca têm como objetivo a responsabilidade ambiental e social. Assim, a empresa, além de estar alinhada ao seu propósito, se conecta com o cliente preocupado com o consumo consciente e a sustentabilidade.

Aliás, esse é um público crescente no nosso país. De acordo com uma pesquisa sobre o panorama do consumo consciente no Brasil, realizada pelo Instituto Akatu, o número de pessoas que consomem produtos fabricados com material reciclado subiu de 29% em 2012 para 48% em 2018. Isso significa que a sustentabilidade é a tendência, e que empresários que ignorarem esse contexto podem ficar para trás nas vendas.

 

O futuro de sua empresa e o novo perfil de seus clientes

 

Em resumo, o caso da Insecta Shoes é interessante como exemplo de gestão absolutamente alinhada aos novos tempos e visão de oportunidade diante de um cenário imprevisto e paralisante para muitos.

A marca também se destaca como modelo de empresa atenta às novas tendências de consumo por parte de uma parcela crescente de seu público.

Você já pensou em seu negócio sob a ótica das transformações em curso no perfil de seu público-alvo? Já pensou no que vai ser importante ou mesmo essencial para seus clientes a partir de agora?

Esperamos que esse texto tenha servido como uma oportunidade para essa reflexão!

E quem sabe uma ideia como a da Bárbara não esteja logo ali, ao alcance de sua empresa?


Fontes: R7, Empresômetro
Foto: Draft